sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

DIAGNÓSTICO DA IGREJA BRASILEIRA

As pessoas estão confusas quanto à religião que seguem. Elas buscam uma igreja, ou qualquer instituição religiosa, que lhes satisfaçam o ego. São poucos os que realmente buscam a Deus pelo que Ele é. Como resultado disso há grande confusão nos brasileiros a respeito de suas crenças. Recentemente, a revista “ISTO É”, na edição de 24 de agosto de 2011 , publicou “O novo retrato da FÉ no Brasil”, onde relatam pesquisas que indicam mudanças na religiosidade brasileira. Veja alguns dados:
• Aumenta a migração entre as diversas religiões: elas mudam de igreja como mudam de camisa. Os motivos são variados: briga om alguém, insatisfação com a liderança, frustração pelas falsas promessas. 37,4% são pessoas que completaram o ensino superior; 52,2% são pessoas divorciadas e 58,9% formam a migração do catolicismo para as igrejas pentecostais (AD, IURD e outras); o mais assustador é que entre os pesquisados 35% dos “pais de santo”, tinham sido evangélicos pentecostais. Disse um deles que muito do que presenciava na Igreja Universal encontrou na umbanda. Um fator interessante é que ex-pentecostais têm se membrado à igrejas protestantes históricas ou tradicionais (Batista, Metodista, Presbiteriana e outras). Elas se frustram lá e vêm para cá;
• O Islã ganha adeptos: a pesquisa também revelou que o número de adoradores de Alá aumentou, só no Rio, 85% e no Brasil todo a conversão de brasileiros ao islamismo cresceu 25%. Eles saem do catolicismo, dos “sem igrejas” e dos pentecostais; o que mais influenciou este aumento? A novela global “O Clone”.
• Cresce o número de evangélicos que não frequentam nenhuma igreja: esta é a mais nova e terrível realidade expressada na pesquisa. Essas pessoas acham que podem servir a Deus sem servir aos outros. Enganam-se pensando que podem adorar a Deus sem participar de uma igreja, apenas se reunindo de vez em quando. O numero de evangélicos que não se tornam membros de uma igreja como instituição é aproximado de 4 milhões de pessoas; essas pessoas que aumentam este número não querem seguir a cartilha de uma denominação. Não querem seguir orientação espiritual de seus líderes e preferem andar como bem querem. Essas pessoas se afadigaram das regrinhas da igreja e querem uma vida livre dessas coisas. Só vão à igreja quando precisam, quando não estão fazendo nada. Isso é trágico! Fujamos disso!
A revista expôs um gráfico:
2003 | 2009
--------------------------------------------------------
Evangélicos sem vínculo 0,7% | 2,9%
Evangélicos de missão(*) 5,2% | 4,5%
Evangélicos pentecostais(**) 12% | 13%
Católicos 74% | 68%
Espíritas Kardecistas 1,4% | 1,6%
Sem religião 5,1% | 6,7%
Outras religiões 1,9% | 3,1%

(*) Luteranos, batistas, adventistas, metodistas e outros;
(**) Assembleia de Deus, Universal do Reino de Deus, Congregação Cristã do Brasil e outros – Fonte: Pesquisa de Orçamentos Familiares, do IBGE, e “Folha de S. Paulo”.

DESTACO QUATRO OBSERVAÇÕES:

A primeira observação é que o número de Católicos ainda é muito grande (68%, isso corresponde a mais de 130 milhões de pessoas).
Em segundo lugar, é destacável que entre os pentecostais eles incluem não só os assembleianos, o que seria correto, mas também a IURD e a Congregação Cristã do Brasil que consideramos seitas.
Algo também digno de menção é o grande número de pessoas “sem religião” . A quantidade é enorme e maior que todos os “evangélicos de missão” e “outras religiões” juntos.
A última ressalva é que os 4,5% de evangélicos considerados “de missão” são contados juntamente com seitas como os adventistas e igrejas que têm saído totalmente dos princípios bíblicos e éticos como os luteranos.
A boa notícia nisso tudo é a informação de que as igrejas históricas (tradicionais) tiveram um percentual de crescimento maior que as outras. Talvez, devido às pessoas do pentecostalismo e Neopentecostalismo saírem frustradas de suas denominações e buscarem um avanço na vida ética, moral e santidade genuína. Cabe-nos o papel de permanecermos fieis à Palavra e cumprirmos a ordem apostólica: “Prega a Palavra” (2Tm 4.2)
Pr. João Duarte
Soli Deo Glória

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

John Piper — Os Cristãos Deveriam Celebrar o Natal?

Apresento a posição de John Piper quanto à celebração do Natal e em seguida alguns links de renomados teólogos sobre o assunto:

17.12.10 | Postado por: Yago Martins


Eu compreendo aqueles que querem ser rigorosamente e distintamente Cristãos. Que querem ser libertos do mundo e qualquer raiz pagã que possa repousar sob nossa celebração do Natal, mas não me posiciono da mesma maneira nesta questão porque penso que chega um ponto onde as raízes já estão distantes de tal forma que o significado presente não carrega mais nenhuma conotação pagã. Fico mais preocupado com um novo paganismo que se sobreponha a feriados cristãos.

Eis um exemplo que eu uso: Todo idioma tem raízes em algum lugar. A maioria dos nossos dias da semana [em inglês] —se não todos— saíram de nomes pagãos também. Então deveríamos parar de usar a palavra “Sunday” (domingo) porque ela pode ter estado relacionada à adoração ao sol em um tempo distante? No inglês moderno, “Sunday” (domingo) não carrega aquela conotação, e é a própria natureza do idioma. De certa forma, os feriados são como a linguagem cronológica.

O Natal agora significa que marcamos, no meio cristão, o nascimento de Jesus Cristo. Nós achamos que o nascimento, a morte e a ressurreição de Cristo são os eventos mais importantes na história humana. Não marcá-los de alguma forma, através de uma celebração especial, me parece que seria insensatez.

Eu lembro de ter sido vizinho de um casal nos tempos de seminário que não celebrava os aniversários de seu filho. A ideia era, em parte, que todos os dias eram especiais para o menino. Mas se todos os dias são especiais, então provavelmente significa que não há dias especiais. Contudo, algumas coisas são tão boas e preciosas — como aniversários e até mesmo mortes — que são dignas de serem marcadas. Quão mais o nascimento e a morte de Jesus Cristo!

Realmente vale o risco, mesmo que a data de 25 de Dezembro tenha sido escolhida por causa de sua proximidade com algum tipo de festival pagão. Vamos apenas tomá-la, santificá-la e fazer o melhor com ela, porque Cristo é digno de ser celebrado em seu nascimento.

Não há motivo para escolher outra data. Não vai funcionar.

Por John Piper. © Desiring God. Website:desiringGod.org
Tradução: voltemosaoevangelho.com
Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que adicione as informações supracitadas, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

LINKS SOBRE A PRÁTICA DO NATAL EM NOSSOS DIAS:
http://tempora-mores.blogspot.com/2010/12/calvino-contra-o-natal.html
http://renatovargens.blogspot.com/2010/12/respostas-aqueles-que-odeiam-o-natal.html

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Padre Fábio de Melo e Pastora Ludmila Ferber no Domingão do Faustão de 1...



Ferber, Fábio e Fausto se juntaram no Domingão do Faustão para discutirem religião. A Pastora Ludmila da Igreja Celular e o Padre Fábio de Melo da Igreja Católica, compareceram ao programa dominical para cantarem juntos e responderem a algumas questões da platéia. Foram envolvidos numa conversa anti-intolerância religiosa. O apresentador enfatizou a necessidade de “tolerância” entre religiosos, pois “não importa a igreja... o que importa é a opção de cada um”, o que importa é servir a Deus do seu próprio jeito e buscar seguir a religião que melhor se adapte. Esse pensamento é intolerante. De acordo com essa idéia errônea o verdadeiro seguidor de Cristo não tem que repreender os erros de outros que estejam pecando contra Deus, pois Deus é quem se adéqua aos pecadores. Nesse caso, o cristão autêntico não precisa anunciar o requisito fundamental para a salvação: “Crê no Senhor Jesus” e arrepender-se de seus pecados abandonado-os completamente.
O pior é que o padre e a pastora concordam com isso. Eles dizem que, e nome do amor, precisam está juntos para alcançarem seus alvos. Eles dizem que Jesus salva, liberta, cura e é a esperança. Mas, se eles não ligam para coisas fundamentais da Bíblia, a grande questão é: de quê Jesus salva? Na verdade, se não dão ênfase ao pecado do pecador, de que mesmo Jesus liberta?
Algumas questões foram mais bem argumentadas pelo padre do que pela pastora, mesmo que os argumentos fossem errados, foram mais bem elaborados. Eles foram mais que evasivos quando tiveram que responder sobre casamento, batismo, homossexualismo, dinheiro, igreja e bíblia. O que se nota é que o ministério deles são conduzidos por princípios pluralistas, secularizados, e permissivos. A Globo que além de ganhar dinheiro às custas dos religiosos, ganhando audiência e vendendo discos, não deixa também de fazer uma apologia contra a família. Afinal, não esperava outra coisa deles, nem mesmo da Ludmila e muito menos do Padre, pois, eles devem ser obrigados a comparecem a programas como aqueles devido seu contrato com a Som Livre (Este é um dos motivos por que não vejo com bons olhos a adesão de artistas evangélicos com a Globo). Mas não podia me calar diante da manifestação dessa tentativa de apagar a verdadeira mensagem do Evangelho que é o poder de Deus para salvação de todo homem. Que Deus tenha misericórdia de nós!

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

CORRUPTOS, SOMOS TODOS CORRUPTOS!

CORRUPÇÃO, UM PROBLEMA DE TODO SER HUMANO

Um dos grandes problemas e catástrofes da humanidade é ela mesma. Afirmo isto, pois a corrupção está impregnada no ser humano. Nós somos corruptos por natureza. Em pequena ou em grande escala temos este desvio de conduta. Portanto, precisamos nos tornar mais éticos em reconhecer isto e combater este mal.
O dia 9 de Dezembro é separado como um dia especial de combate à corrupção. Momento em que podemos refletir não no pequeno cisco que existe no olho do outro, mas, na trave que está no nosso. Um jornal eletrônico noticiou o seguinte:
De acordo com o levantamento da Global Corruption Barometer ('Barômetro da Corrupção Global', em inglês), 27% dos brasileiros acham que a corrupção se manteve estável nos três últimos anos, enquanto 9% acreditam que ela diminuiu neste período.
Esta pesquisa foi feita a nível mundial, no entanto, aqui no Brasil, eles pesquisaram mil pessoas, que deram o seguinte resultado:
Apenas 4% dos entrevistados no país dizem ter pago propina no último ano. A corrupção no Brasil aumentou nos últimos três anos, na opinião de 64% dos brasileiros entrevistados em uma pesquisa realizada pela ONG Transparência Internacional.
Na realidade a mazela se estende de forma muito mais ampla do que a pesquisa mostra. Ela não atinge apenas as instituições governamentais, mas toda classe e área da vida humana. Eles demonstraram uma escala das classes corrompidas:
A maioria dos brasileiros entrevistados acredita que os partidos políticos e o Poder Legislativo são as instituições mais propensas a ter corrupção. Em uma escala de 1 (nem um pouco corrupto) a 5 (extremamente corrupto), tanto os partidos quanto o Legislativo ganharam uma nota média de 4,1.
Em seguida, vem a polícia (3,8) e o Judiciário. A instituição tida como menos corrupta pelos brasileiros são as Forças Armadas (2,4).
A questão mais importante é: como estas instituições se corromperiam se a massa não exigisse a tal atrocidade? Certamente seria muito mais difícil um político, um policial ou qualquer servidor se sujar moralmente se o povo, o cidadão não os induzissem a isso.
A Bíblia registra que a corrupção do homem gerou juízo da parte de Deus: “A terra estava corrompida à vista de Deus...” (Gênesis 6.11). E diz: “Disse o Senhor: Farei desaparecer da face da terra o homem que criei...” (Gênesis 6.7). O profeta Jeremias denuncia de onde procedem as práticas corruptas: “Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto; quem o conhecerá?”
Ouvimos notícias atuais de propinas entre vereadores e empresários, uns se vendendo, outros comprando e todos se corrompendo. Vemos no executivo, e no judiciário a mesma coisa. Sabemos que há dessas coisas até mesmo nos lugares mais santos, onde não deveria existir. Que tristeza!
Afinal, há solução para este estado deplorável? Sim, existe! Façamos uma luta contra a tendência corruptora em nós mesmos e depois nos outros. Quem sabe assim destruamos este mal antes que ele nos destrua. Como fazer isso? Somente pelo sangue de Jesus! Arrependendo-se e clamando a Ele por misericórdia, perdão e força para lutar contra a corrupção.

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Execução de pastor iraniano - Portas Abertas

Pastor iraniano enfrenta execução


Pôr do sol no Irã
IRÃ (2º) - A International Christian Concern pede oração urgente pelo pastor preso Youcef Nadarkhani que recebeu a notificação de que será executado sob a acusação de "apostasia" - a conversão do islamismo para o cristianismo - e aguarda agora o veredicto final do tribunal.

O pastor Youcef Nadarkhani, líder da igreja em Rasht, no Irã, foi preso em 13 de outubro de 2009 por questionar a prática de educação islâmica de estudantes cristãos - incluindo seus próprios filhos – que obriga a leitura do Alcorão na escola.

Sua execução, inicialmente prevista para 24 de outubro, foi adiada para uma data desconhecida pelas forças de segurança na esperança de que Youcef renunciasse a Cristo e voltasse ao islamismo.

Uma vez que o veredicto final do tribunal é entregue, o pastor Youcef terá 20 dias para recorrer ao Supremo Tribunal Federal.

A esposa do pastor Youcef, Fatemeh Passandideh, foi presa em 08 de junho e sentenciada à prisão perpétua. No entanto, depois de uma apelação, ela foi liberada após uma audiência de 11 de outubro.

Embora sua esposa tenha sido absolvida, é improvável que o seja concedido o mesmo ao marido pois a sua atividade cristã era mais proeminente e sua acusação mais grave.
Em uma carta à comunidade cristã internacional, o pastor Youcef tomou coragem e consolou os cristãos ao redor do mundo: "O que temos hoje, é uma, mas não insuportável situação difícil, porque Ele não nos prova mais do que a nossa fé pode suportar... Devemos considerar essas situações e as prisões como uma oportunidade para testemunhar o Seu nome."

Pedidos de oração:

• Ore para que o pastor Youcef Nadarkhani encontre coragem e confiança no Senhor. Ore também para que se for vontade de Deus, ele seja liberado e se não, que ele exemplifique a Cristo e dê glória a Deus em seu chamado para sofrer pelo nome de nosso Salvador.
• Ore pela esposa do pastor e seus dois filhos para que Deus sustente-os durante este período de grande provação. E que eles permaneçam firmes na fé e perseverem em face da tirania e da perda.
• Ore pelos cristãos iranianos para que não sejam intimidados ou se cansem, mas compartilhem o Evangelho com coragem e procurarem orientação do Senhor e a graça diariamente.


Tradução: Carla Priscilla Silva

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Eleições 2010 - Em quem devo votar?

EM QUEM DEVO VOTAR?
TEXTOS: ROMANOS 13.1-7; 1 SAMUEL 8, 12

Antes de votarmos em qualquer candidato a algum cargo político, devemos nos perguntar: “em quem devo votar? Devemos ponderar quem Deus quer que coloquemos para governar-nos por quatro anos. Claro que devemos abandonar todo interesse pessoal e egoísta e pensarmos no benefício de todos, especialmente na glória de Deus.
Precisamos considerar que aqueles que colocarmos no poder serão aqueles que receberão a nossa submissão e obediência em tudo aquilo que o Senhor não for infringido. Ou seja, estaremos prontos a cumprir suas determinações e leis que declaradamente não ofenderem os princípios maiores, que são os de Deus. Analisemos então Romanos 13.1-7
1. DEUS É O DOADOR DA AUTORIDADE – v.1
2. Os crentes têm uma base racional distinta para se submeterem, de modo apropriado, às autoridades governamentais: o reconhecimento de que o próprio Deus é a fonte do governo na sociedade humana (Pv 8.15,16; Dn 2.21. Nenhum governante chega ao poder se não for pela determinação de Deus. Os bons (para o bem do povo) e os maus (para a disciplina do povo). Toda autoridade é instituída por Deus. Seja para o povo se alegrar ou seja para o povo gemer.
3. REBELAR-SE CONTRA A AUTORIDADE CIVIL IMPLICA NO MESMO CONTRA DEUS – v.2-3
Quando o Governo nos impõe boas leis e normas que não ferem os princípios bíblicos e nós não as cumprimos estamos transgredindo não somente ao Estado, mas também a Deus. O Legislativo, o Judiciário e o Executivo são instituídos por Deus para serem autoridades respeitadas e obedecidas por nós quando eles cumprem seus deveres de acordo com a vontade revelada de Deus.
4. A AUTORIDADE DEVE BENEFICIAR A SOCIEDADE – v.4 a
Isto é a sua função normal, mesmo quando as autoridades do governo sejam reconhecidamente não-cristãs. O dever do governo ou qualquer autoridade é realizar o bem ao povo. Este bem se aplica na vida física, emocional, moral, ética, social e acima de tudo espiritual do indivíduo, se é que podemos distingui-lo assim.
5. DEUS OUTORGA AO ESTADO O PODER DA ESPADA – v. 4b
A “espada”, ou seja, o poder da vida e morte dos mal-feitores; Punição capital (At 25.11). É verdade que em um sistema atual falho é difícil adotarmos essa atitude na nossa realidade brasileira. Mas, o Governo tem este poder de fazer se o fizer com justiça e equidade. É bom notar que isto não dá o direito de normatizar atos como a “eutanásia” e “aborto” e outras ações condenadas pelo Criador.
6. A SOCIEDADE NÃO DEVE DEIXAR DE PAGAR SEUS IMPOSTOS – v.6
Visto que a tarefa do governo é divinamente ordenada e requer apoio financeiro, o crente deve pagar imposto com sentimento de devoção a Deus – Mt 22.21; compare com At 4.18-31; 1Co 6.1; 1Pe 2.13.
É errado sonegar impostos. O cidadão fiel não sonega, não retém para si o que não lhe pertence. Mas também, é errado o Governo impor pesados tributos ao povo. Isso sempre foi condenado por Deus que odeia a desigualdade social onde os ricos ficam cada vez mais ricos às custas dos pobres. Deus abomina a usura, o uso de juros altos que escravizam os necessitados.
I. O INÍCIO DA MONARQUIA - O povo exige um rei (1Sm 8)
Na Bíblia hebraica, 1 Samuel vem depois de Juízes, o qual termina com triste o refrão: “naqueles dias, não havia rei em Israel; cada um fazia o que achava mais reto” (Jz 21.25). Samuel trouxe o governo teocrático. Ou seja, Deus mesmo governava através de seu representante o profeta, sacerdote e juiz.
A instituição da monarquia foi um novo estágio na história política e religiosa de Israel, embora essa idéia propriamente dita fosse conhecida nos vizinhos (Jz 3.12). Uma das causas da relutância de Israel não ter instalado ainda um rei, está revelada nas palavras de Gideão (Jz 8.23). Um princípio fundamental na fé do povo israelita era de que o próprio Senhor (Javé) era o soberano de Israel, e o seu grande Rei (8.7; 12.12). Mas, já existiam idéias de um rei – Nm 24.7,17-19.
Nesse contexto, vê-se com clareza a pecaminosidade ao clamor do povo por um rei humano. Não que Israel não deveria ter um rei, mas, o que é censurável é o desejo do povo de ter um rei “como o tem todas as nações” (8.5), porque esse desejo significa a rejeição do maior de todos os reis (8.7).
II. A QUEDA DO REI QUE O POVO QUIS – a decepção do primeiro rei de Israel.
Saul é apresentado em 9.2 como uma pessoa impressionante de notável aparência presumivelmente como o povo queria (10.23). Quando fazemos escolhas usando meramente conceitos humanos e interesseiros certamente estamos cavando a nossa própria cova. A monarquia foi claramente concebida como tendo necessidade da orientação de Deus, assim como nós precisamos da orientação divina para eleger nossos governantes e não usarmos a nossa paixão partidária e egoísta. Saul falhou em algumas ocasiões importantíssimas com relação às exigências de Deus:
1. Não esperou por Samuel, tomou o lugar de profeta – 1Sm 13.8-14;
2. Desobedeceu a Deus preservando a vida do rei e de muitos animais – 1Sm 15
3. Necromancia e espiritismo – 1Sm 28.7; 1Cr 10.13.14;
Existem políticos que estão envolvidos com coisas contrárias à vontade de Deus na Sua Palavra? Então não o coloquemos no poder, senão será uma tragédia.
Para eleger alguém como líder eram precisos três passos:
Primeiro: a designação como tendo sido a escolha do Senhor.
Você já sabe qual é a vontade do Senhor? Já ponderou estando de joelhos e Bíblia aberta para saber bem em quem deve votar?
Segundo: uma demonstração de bravura e de ter recebido poder da parte do Senhor ao realizar uma façanha heróica, e;
Terceiro: a confirmação pelo povo.
Saul fora designado por Samuel e tivera uma experiência profética (10). Atacou os filisteus (10.5,8) e teve vitória importante, e é coroado em Gilgal.
Saibam que depois de você votar será de fato aquele em quem você votou que estará lá. Você é responsável por isso!
O processo de ascensão ao trono foi completado, e o discurso de Samuel no capítulo 12.3-15 mostra três argumentos para compelir o povo a reconhecer a sua própria culpa em pedir um rei:
1. Convida o povo a concordar que ele tinha sido um líder inculpável – v.4-5;
2. Ressalta que sempre tinha sido o Senhor quem nomeava líderes – v.6; e se mostravam adequados – v.7,8;
3. Enfatiza que, mesmo quando os israelitas “esqueceram-se do Senhor, seu Deus”, o Senhor fora gracioso para com eles. Embora os sujeitasse à opressão dos inimigos – v. 9. Ele atendia suas confissões de pecados e seus rogos por livramento (10) e suscitava juízes, entre os quais estava o próprio Samuel (11). Dentro desse contexto da suficiência da provisão do Senhor, a exigência do povo em ter um rei humano, embora o próprio Senhor fosse seu rei (12), pode ser considerada rebelião (8.7). Mesmo assim a monarquia pode ter sucesso, se tanto o rei quanto o povo temerem ao Senhor, o servirem e atenderem à sua voz (14).
CONCLUSÃO: leiamos 1Sm 12.13 em contraste com 8.18, 16.1 e 8.10. Depois disto eu e você podemos responder: “Em quem devo votar?”
Pela amada igreja, a eleita do Senhor: Pr. João Duarte

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

NOTA DE FALECIMENTO


Faleceu, na Igreja dos negligentes e frios na fé, dona "Reunião de Oração", que já estava enferma desde os primeiros séculos da era cristã.

Foi proprietária de grandes avivamentos bíblicos e de grande poder e influência no passado.

Os médicos constataram que sua doença foi motivada pela "frieza de coração", devido a falta de circulação do "sangue da fé". Constataram ainda: "dureza de joelhos" - não dobravam mais - "fraqueza de ânimo" e muita falta de boa vontade.

Foi medicada, mas erroneamente, pois lhe deram grande dose de "administração de empresa", mudando-lhe o regime; o xarope de reuniões sociais" sufocou-a; deram-lhe "injeções de competições esportivas", o que provocou má circulação nas amizades, trazendo ainda os males da carne: rivalidades, ciúmes, principalmente entre os jovens.

Administraram-lhe muitos "acampamentos", e comprimidos de "clube de campo".

Até cápsulas de "gincana" lhe deram pra tomar!

RESULTADO: Morreu Dona "Reunião de Oração"!

A autópsia revelou: falta de alimentação, como "pão da vida", carência de "água viva", e ausência de vida espiritual.

Em sua memória, a Igreja dos negligentes, situada na Rua do Mundanismo, número 666, estará fechada nos cultos de 3as e 5as Feiras; aos domingos, haverá Culto ou escola dominical, só pela manhã, assim mesmo quando não houver dias feriados, emendando o lazer de Sexta a Segunda e vigília nem pensar.

Agora, uma pergunta:

SERÁ QUE O LEITOR NÃO AJUDOU A MATAR A DONA "REUNIÃO DE ORAÇÃO"?

Fonte: email recebido do Pr. Enéas Alexandrino

Soli Deo Gloria

Pr. Luiz Fernando R. de Souza